sábado, 14 de janeiro de 2012

O tal do querer e não ter

Hoje em dia todo o mundo – ou pelo o menos a maior parte dele – quer um namorado (a). E a maior parte dessa maioria, não tem um “histórico” muito bom.
Já parou pra pensar em quantas pessoas você já beijou? Ou em quantas já se relacionou? Tem gente que nem contar consegue mais. Homens então, a maioria deles não quer nem saber, sai “pegando geral”. Algumas mulheres que não se dão mais ao respeito… – mas graças a Deus ainda existem as exceções
Sinceramente, o mundo foi ficando tão, mas tão liberal, que as pessoas nem se conhecem mais e já “caem de boca na botija”. Acham que têm que aproveitar enquanto se pode.
Agora, essas mesmas pessoas virem reclamar que não arrumam um namorado ou que o namoro não dura? Que vivem reclamando disso e daquilo no namoro? Ou que ainda não mudam de atitude e continuam na mesmice de sair pegando geral? Será que alguém pensou em mudar de atitude? Ou pensou nas consequências do passado?
É lógico que, existem exceções para isso…
Não quero ficar me alongando no assunto, mas quem está nessa situação sabe o que é certo a se fazer.
Ps.: O que é teu tá guardado e vai vir… não adianta pirar ou algo assim. Vai vir. Mas lembre-se que tudo depende das suas atitudes e assim você verá se irá ter uma boa ou má consequência dos seus atos.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

As pessoas, o tempo, as escolhas

Hoje eu estava pensando sobre uma pessoa que me machucou. Na verdade, uma amiga minha – que era umas das minhas melhores amigas.
Sei lá, as pessoas mudam de uma hora pra outra. Só que existe a mudança boa e a ruim. Nesse caso, foi ruim. E quando é uma mudança ruim, a gente acaba se afastando da pessoa ou tenta fazer com que ela volte a ser como era antes. Porque quando se gosta de alguém, o certo é correr atrás mesmo e deixar o orgulho de lado. Só que chega uma hora que cansa né? Mas não é sobre isso que eu quero falar. Quero falar sobre as pessoas, o tempo e as escolhas.
É engraçado olhar pra trás e ver quantas pessoas já passaram pela nossa vida. Lembrando-se da infância e ver que tem um amigo que conversa contigo até hoje e outros que desapareceram. Pessoas que já estudaram juntas e hoje nem se falam mais. Dessa maneira, acho que retiro o engraçado e coloco um triste no lugar.
Eu sempre digo que as pessoas passam na vida de cada um pra acrescentar e/ou aprender alguma coisa. Sempre temos algo a ensinar e algo a aprender. Só que uma hora elas se vão.
E lembrando-me dessa minha amiga, eu percebo que existem tantas pessoas que passam pela vida e vão embora, ou aquelas que passam e ficam. Mas ficar ou ir não é questão de destino. É questão de vontade, escolha. Uma escolha da própria pessoa ou de Deus.
Por exemplo, no meu caso, ela também tinha outras amigas. Mas tinha uma, que há pouco tempo voltou a falar com ela. Só que ela sabia que eu não ia muito com a cara dessa tal amiga por um motivo que eu já tinha contado a ela. Mas isso não tinha nada a ver na amizade delas e eu sabia disso. Levei na boa – só na primeira vez que vi que elas estavam conversando.
Só que“a coisa foi ficando preta”. Eu não ligava delas conversarem e serem amigas. Mas me deixar de lado pra dar atenção só a ela? Ainda sabendo que eu tinha motivos pra não gostar dela? É ela fez isso. Deixou-me completamente. Parou de falar comigo pela internet, na igreja, por celular etc.. Isso me fez ficar muito chateada.
Eu joguei na cara dela isso – mas não brigando – só que não adiantou muito não. Disse que era ciúme e que ela não tinha me deixado de lado, que era besteira minha. Só que como eu disse lá em cima “(…) quando se gosta de alguém, o certo é correr atrás mesmo e deixar o orgulho de lado.”.
 Eu corri atrás, pra não deixar que a amizade acabasse. Mas “(…) chega uma hora que cansa né?”.
Por fim, quarta foi a última vez que eu tentei. Mas não obtive muito sucesso.
Como eu disse anteriormente, as pessoas vêm e vão na nossa vida, mas ficam por escolha própria. Ela escolheu a outra. Eu fiz até onde o meu valor não fosse rebaixado. O meu papel de amiga foi feito.
Tudo é questão de escolha!

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

A tal da saudade

Well, ficar muito tempo fora é very very bad, porque bate uma saudade das pessoas que você acostuma a ficar perto.
Mas saudade é um bicho muito estranho!!!
Outro dia estava conversando com uma amiga minha, a Taynnara, e conversávamos sobre saudade. E ela me disse algo que eu não vou esquecer – mesmo já esquecendo – e que vou tentar explicar do meu jeitinho. Ela me disse que a saudade tem dois tipos. A primeira é aquela saudade mais “simples”. Essa que você sente do nada de algum amigo, amiga, de um parente, de ciclano e fulano… enfim, aquela saudade que você sabe que vai matar… uma saudade possível de ser retirada logo após um tempinho. Chega a ser uma saudade saudável, boa.
 Já a outra saudade, é aquela mais “dura”. Uma saudade que, quando sentida, às vezes chega a doer lá no fundo. Aquela saudade que você sabe que nunca vai matar ou que vai ser muito difícil de matar. Um exemplo: Uma pessoa que morreu e que você não vai ver de novo… um ex-namorado que te fez muito bem durante um tempo, mas que as circunstâncias da vida o fizeram ir… um amigo que você não vê há bastante tempo e que você ama até hoje e sabe que vai ser difícil revê-lo… Essa saudade sim, ela é pra sempre. Ela doi e chega, às vezes, a fazer mal. Não é uma saudade tão boa.


E pensando nesse último tipo de saudade, me vem à cabeça o seguinte: carregar das pessoas o melhor que elas têm e o melhor que fizeram a você. Sorrisos e olhares, abraços e beijos. Pensar no que ela representou um dia pra você e em o que passaram juntos. Lembrar-se do bem que ela te fez. E se era pra ir embora e não voltar mais ou voltar um dia, é porque era pra ser assim. E a única opção que resta é aceitar. Mas nunca se esquecer.

Letícia Martins

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

A volta ¬¬'

Hoje já é Domingo , meu segundo dia de viagem , são 8:30 . Nesse momento estamos em algum lugar depois de Teixeira de Freitas e antes de São Mateus. O carro da frente acabou de cantar um pneu booooonito pra não passar no buraco. Nossa meu coração foi a mil !!! Meu pai então , tá trancando.
Resolvi escrever agora pro tempo passar mais rápido, se bem que a volta tá menos chata e cansativa do que a ida.
Ontem, saímos de lá 7h da manhã e a viagem foi mais rápida . Paramos em Itagimirim para dormir , mais ou menos às 20h e acordamos às 4h .
Voltando pro dia de hoje… minha irmã caçula vomitou no carro – tadinha dela e de mim que estava dormindo na hora e acordei com meu pai gritando “SUA IRMÃ TÁ VOMITANDO!!!” , aí peguei  a sacolinha e coloquei na boca dela , mas não adiantou muito não , ela já tinha me sujado . O banco e ela principalmente, ficaram sujos . Graças a Deus tinha bastante água no carro e deu pra ela quase tomar um banho. Só que isso já faz uma hora e o cheiro de nescau vomitado ainda está no carro!! Que cheiro insuportável … e não adiantou tacar perfume no carro , no banco e nela .


Então , passaram-se algumas horas , eu dormi no carro e acordei em Itaperuna , por volta das 19h . OMG ! Estava tudo alagado !!!!! O pior foi em Três Rios ... íamos passar por fora , mas voltamos e fomos por dentro , porque tinha um engarrafamento lá . Quando entramos e chegamos no trevo SURPRESA : Uma correnteza passando no caminho que a gente tinha que passar . Nesse vai ou não vai , ficamos parados por quase uma hora - e já eram meia-noite - num lugar mais alto , quando meu pai aparece com a notícia de que tinha um cara lá que conhecia outro lugar pra passar . E fomos . Depois de parecer andar em círculos , chegamos a rodovia e seguimos caminho .
Cheguei bem - e cansada - em casa às 2h da manhã mais ou menos .
Só pra fazer um aparte : é tão triste ver esse estado das cidades , alagadas , "caindo aos pedaços" ... meia-noite e gente do lado de fora tirando lama de dentro de casa ... às vezes eu me pergunto quando isso vai acabar :/

domingo, 8 de janeiro de 2012

Os últimos dias

Dia 5 de Janeiro : acordamos bem cedinho e fomos para a Orla do Mosqueiro . Lá ficam as embarcações para algumas ilhotas – que são na verdade cercadas pelo rio e não pelo mar. E fomos para uma delas que se chamava Crôa do Goré .É pertinho , demorou uns quase 5 minutos para chegarmos à ilha.
Chegamos mais ou menos umas 10h e tinha uma extensão de areia boa . Só que quando deu 11h a maré começou a subir e subir e subir… Quando fui ver , não tinha restado nada de areia . Só água e mais água . E se alguém me perguntasse do lugar que eu mais gostei lá,acho que diria que foi esse.
Voltamos antes da maré descer e fomos almoçar . Comi bobó de camarão da vovó – que delicia!!!! – e depois fui me arrumar para sair de novo.
15h : fomos tirar fotos no centro e depois fomos ao Mercadão . Em Volta Redonda seria o Merc. Pop. , só que algumas vezes maior . Compramos algumas coisinhas de lembranças e voltamos para casa – no caminho vi um Burguer King , maaaaaas minha tia não quis parar lá :/
Não lembro o que fiz a noite , só sei que comi cachorro-quente e que fiquei arrumando a mala depois .
 
Crôa do Goré


Dia 6 de Janeiro – the last day : Fomos à praia e na barraca que ficamos se chama Parati . É lindo lá . Muito arrumado , organizado e CARO ! Acho que nunca mais vou reclamar dos preços da cantina da escola . R$4 a latinha de refri – e nem era coca , era sukita - , R$2,50 uma água de 300ml!!! E ainda mais , a água de coco estava quente.  Fala sério !!!!
Enfim , o dia foi cheio … chegamos , almoçamos , nos arrumamos e partimos para o Mercadão de novo ! Só que minha tia tava estressada e mandou esperarmos do lado de fora . Uns 20 minutos do lado de várias jacas – que não têm um cheirinho muito agradável – esperando eles voltarem …
Well , logo depois fomos ao Museu da Gente . Entrada 0800. E que museu lindo *-* Sério , nunca entrei num museu que fosse tão tecnológico . Primeiro entramos numa sala lá que mostrava algumas coisas antigas – como máquina de escrever , de calcular etc. – e depois fomos para um mini cinema que tem lá dentro que mostra algumas festas e cartões postais de algumas cidades próximas a Aracaju .
Visto o filme , fomos para um outro lugar lá dentro que , sinceramente , é inexplicável. É muito legal!!! É uma sala , tipo túnel do tempo , que nas paredes mostra tipo uma floresta ou estrada , só que fica movendo para trás . E no meio , tem 3 “vagões” , onde você se senta e fica vendo o filme passar . Só que enquanto você tá sentado , parece que esses “vagões” vão se movendo , mas na verdade estão paradinhos.
Passando pra outra sala , tinha tipo um labirinto de espelhos , e em algumas paredes tinham instrumentos utilizados e mais outras coisas … em outra , tinha um carrossel no meio , e enquanto o moço lá girava, um filme de praças dessas cidades , se passava na parede .
A última sala que eu fui , era a da Amarelinha . Era o mesmo procedimento , mas a amarelinha não era desenhada no chão , era projetada. Vamos supor que eu joguei no numero 4 , eu vou , volto , pego o dado , e vou pro meu lugar . Nisso aparece no chão uma dança típica de tal lugar. Tudo de acordo com o número que cair . Achei muito interessante .
Tinham outras salas também ,mas eu não fui. Mas fica como dica. Se um dia alguém for pra Aracaju ,passem no Museu , é muito bacana meeeesmo !!!
Mais a noite eu fui na feirinha da Orla de Atalaia , comprei algumas coisinhas e fomos zuando no carro na hora de voltar , nos despedindo de lá , porque no outro dia teria que acordar cedo para voltar para VR city .

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Um breve resumo até o dia de hoje

Vou tentar fazer um resumo de algumas coisas que passei nesses dias aqui em Aracaju .
Dia 01 de Janeiro : fomos à praia de manhã - e como estava cheia !!! - e voltamos pra almoçar a deliciosa comida da vovó . Só que meu primeiro dia do ano não foi o que eu esperava . Aconteceu algo um tanto desagradável mas que vocês vão ficar curiosos para saber . Algo meio pessoal . Eu chorei e por isso me deu um sono do caramba .
Dia 02 de Janeiro : resolvi o meu mal entendido do dia anterior e fiquei bem melhor . A piscina do condomínio estava limpando e não fomos à praia = ociosidade ... maaaaaas , a noite fomos na Orla da Atalaia tirar algumas fotos como essa com as lindas e formosas estátuas que não me amam .                                                                     
 
Não é todo o dia que se tira foto com uma celebridade


Dia 03 de janeiro : fomos à praia da Caueira e depois fomos nadar com peixinhos peixes enooormes . Sério mesmo , é de arrepiar as espinhas , mas é muito maneiro . A água lá é doce , uma delícia e não dá vontade nenhuma de sair de lá . Como sempre voltamos na hora do almoço . E o resto do dia eu não fiquei fazendo nada ... ou melhor , fomos ao shopping a noite dar uma voltinha . O dia foi tão perfeito pra ser verdade né? Então percebi que ao final do dia eu estava ardida de tão vermelha \z . 



Meu lindinho Tambaqui *----* Ele coloca a boquinha pra fora pra pegar a comida

Dia 04 de Janeiro : minha prima e minha irmã foram pra piscina e eu fiquei no note ... aconteceu um pequeno imprevisto que prefiro não comentar , mas minha tia  me chamou pra ir no shopping pra pagar contas e acabou que ela comprou algumas coisinhas . No final de tarde fomos na Orla de novo para tirar mais fotos , e tirei mais fotos com algumas celebridades daqui de Sergipe - nem vi quem eram e fui tirando foto com eles . O mais legal era as poses que eles ficavam AUHSAUHSUHSA o povo daqui - que é um povo meio taradinho - deve tirar cada foto com eles ...

Esse é o meu resuminho até ontem , no caso né . Daqui a pouco eu escrevo sobre o dia de hoje , que aliás , foi muito legal (: 

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

A mais longa viagem da minha vida

Eram exatamente 20:27 de quinta-feira dia 30 de Dezembro de 2011 quando eu , minhas duas irmãs mais novas   e meu pai (nosso motorista particular) saímos de Volta Redonda rumo à Aracaju (uma cidade tipo "Tão,tão distante" do Shrek).
Só que como todos sabem viagem sempre tem que dar alguma coisa de errado né?! Pois a nossa não teve uma exceção. A porcaria (desculpe a expressão) do bendito GPS não estava funcionando , meu celular não estava com crédito , mas graças a Deus , nós tínhamos um mapa bem fuleiro em mãos e foi com ele que nós tivemos que nos orientar até Campos (onde fomos buscar minha prima).
Chegamos em Campos 03:30 da manhã ( e antes que eu me esqueça consegui colocar o chip do meu pai no meu celular e conseguimos o tal gps lá ) e dormimos na casa da tia da minha prima , a Michelle .
Acordados (mas não tão acordados) , partimos de lá 07h da manhã . Campos é totalmente plana e grande também . Muito bonita , pelo o pouco que pude ver .
E fomos viajando e viajando e viajando . E aquela pergunta que o burro faz ao Shrek "A gente já chegou?" era a que eu queria fazer ao meu pai , mas eu sabia que essa pergunta era inútil .
Passamos por Guarapari , Vitória (que por sinal é muito linda também) , Linhares , Teixeira de Freitas ...
Meu pai sempre ia revesando com minha prima no volante , os dois já estavam exaustos . Foi aí que resolvemos parar (na verdade eles , porque eu já tinha dormido várias vezes no carro) . E então paramos em Itabela (que de bela só tem no nome) e fomos dormir na primeira pousada que meu pai viu pela frente e sinceramente que medo !!!! Aquilo não era uma pousada e sim um abrigo de bichos estranhos . Fui descer as escadas e tinha um ninho de formigas em cada degrau . Tinha um matagal atrás dos quartos e cheio de bichos . Entrei no quarto , juro , só cabia a cama de casal e um banheirinho minúsculo . Na hora de dormir eu sentia uns negocinhos em cima de mim , fazendo cócegas , e tudo escuro . CREDO ! O bom é que eu consegui dormir rápido e não senti mais nada . Ah , eu cheguei lá eram 23h mais ou menos e nós iríamos acordar 4h pra voltar ao nosso rumo . Até aí , tudo bem né ...
Eu estava sonhando já , quando escutei no meu sonho um som de porta batendo e batendo e batendo ... e quando a Michelle levantou que eu percebi que não era um sonho . Era meu pai batendo na porta pra acordar a gente pra ir embora . Até ai , tudo bem né ... Só não foi bem quando a Michelle olhou a hora e viu que eram 01h da manhã \z . E se meu pai achando que eram 4h . Sim , nós fomos naquela hora mesmo . Meu  pai já tava pronto e não queria voltar a dormir ...
Então fomos viajando , feliz e não-tão-contentes (por causa do sono) . Eu não conseguia dormir de olho em quem dirigia pra não dormir . E quando eu enfim troquei de turno com a minha irmã , consegui dar uma cochilada ...
Quando acordei , me deparei com comentários da minha prima sobre meu pai , caminhão , quase bateu , susto e fui perguntar o que tinha acontecido . E Michelle me conta que meu pai tava dirigindo e tava tão cansado que na hora de fazer a curva ficou na outra mão e só 'acordou pra vida' quando minha irmã deu um berro e ele viu que tinha um caminhão bem em frente ao carro e por pouco não conseguiu desviar . Nesse momento eu só pensei no lado positivo que eu estava dormindo ...
O resto ... bom o resto foi tranquilo ! A única coisa chata era que nunca chegava no destino final e quando eu pensava que estava chegando , faltava umas 4 ou 5 horas ainda ... Mas quando eu cheguei , foi um alívio total!!! A primeira coisa que eu fiz foi tomar um banho , depois disso bati um prato de rango da vovó e capotei na cama ... Afinal , era dia 31 né e eu queria estar acordada para ver os fogos né ...
Então , foi isso a minha jornada longa e cansativa e quase morrida ... Cheguei aqui 11h , no horário de verão seriam meio-dia né?
Depois conto mais da minha viagem . Boa noite !